odc_site_peças gráficas_destaque1

odc_site_peças gráficas_destaque2

odc_site_peças gráficas_destaque3

 

 

odc_site_peças gráficas_destaque4

 

 

odc_site_peças gráficas_destaque5

 

 

odc_site_peças gráficas_destaque6

odc_site_peças gráficas_destaque7

odc_site_peças gráficas_destaque8

Portugueses abrem as portas de sua casa para o ‘Família do Lado’

portugueses-abrem-as-portas-de-sua-casa-para-o-familia-do-lado-01

 

No dia 27 de novembro, aconteceu, em várias casas portuguesas, um evento único, de solidariedade e conhecimento, que uniu duas famílias diferentes à mesma mesa. Mais de uma centena de famílias portuguesas abriu as portas de suas casas para almoçar com uma família imigrante ou refugiada para com elas partilhar culturas, conhecimentos e experiências de vida. ‘Família do Lado’, nome do projeto desenvolvido pelo Alto Comissariado para as Migrações, vai já na sua quinta edição, algo que a organização acredita que prova o “sucesso da mesma”.

“Apesar de inicialmente as pessoas terem algum receio de abrirem a porta da sua casa a pessoas que não conhecem, depois adoram a experiência, sentem-se mais ‘ricas’, querem participar no ano a seguir”, revela fonte da organização ao Notícias ao Minuto, fazendo saber que de ano para ano são sempre mais os interessados.

 

Uma ideia nascida pela mão de uma imigrante que fugia à guerra

A ideia nasceu em 2004 na República Checa, por Jelena Silajdzi, ela própria uma imigrante que fugira, com a sua família, da Bósnia e da guerra que pôs termo à Jugoslávia. A mulher sentiu na pele os desafios a que um imigrante é sujeito sobretudo numa sociedade fechada… e quis fazer algo.

O evento consiste em proporcionar ao outro um almoço convívio, “enquanto estratégia para a integração dos migrantes na sociedade portuguesa, ao mesmo tempo que contribui para a construção de uma imagem positiva em torno da interculturalidade e da diversidade cultural”.

Nas já quatro edições em que a iniciativa se desenvolveu, realizaram-se “cerca de 367 almoços, envolvendo 833 famílias, de 50 nacionalidades diferentes e nunca houve problemas, refere a organização, contando que “há sempre assunto e temas de conversa. As pessoas adoram falar da sua cultura, de partilhar a sua gastronomia, de conhecer novas pessoas”.

 

Iniciativa contribui hoje para uma sociedade mais justa e aberta

Inspirada pelo espírito de Natal que se aproxima, mais de 100 famílias repetem a iniciativa… que em muitos casos não fica por aqui.

“O ano passado após o almoço, cerca de 55%  das famílias queriam manter a relação, sendo que 8% tinham já marcada uma nova data para um encontro e as restantes tencionavam marcar mas ainda em data a combinar.  Do feedback que temos dos participantes que participam uma segunda vez na iniciativa, cerca de 75% afirmam que as famílias mantiveram algum tipo de contacto e relação”, conta fonte do Alto Comissariado para as Migrações, revelando também que “há histórias super interessantes”.

“O ano passado, houve famílias que após a participação na ‘Família do Lado’ passaram o Natal ou o Ano Novo juntas, porque gostaram tanto e, de outra forma, talvez passassem sozinhas. Há logo convites para casamentos, batizados, festas de aniversário. Há famílias que se oferecem para mostrar os monumentos do concelho à outra família, ou quando sabem de uma oportunidade de emprego indicam-na à outra família que tinha um elemento desempregado”, remata, mostrando que a ideia “contribui efetivamente para criar redes de solidariedade e de amizade e que contribui para uma sociedade mais justa e aberta”.

 

Fonte: Pais ao Minuto / Lisboa

Imagem: © iStock

Link permanente para este artigo: http://observatoriodadiversidade.org.br/site/portugueses-abrem-as-portas-de-sua-casa-para-o-familia-do-lado/

BH recebe a 1ª FESTA DO MIGRANTE

bh-recebe-a-1a-festa-do-migrante-1

Evento será realizado pelo Centro Zanmi – Serviço Jesuíta a Migrantes e Refugiados

 

No domingo, 04 de dezembro, a partir das 11 h, a multiculturalidade presente em BH será comemorada com comidas típicas, artesanato e muita música para marcar a primeira edição dessa festa na capital mineira.

A animação, que tem entrada inteiramente gratuita, acontecerá no centro de BH, debaixo do viaduto de Santa Teresa. No Teatro Espanca (Rua Aarão Reis, 542), haverá exposição de artes plásticas e feirinha de comidas típicas, com pratos da Síria, Nigéria, Senegal, Bolívia, Argentina e Haiti.

Leve dinheiro em espécie, pois não serão aceitos cartões de débito e crédito. Quem comandará a festa nesse local serão os DJs Jimmy (12 – 15h) e o DJ Hefak Mix (15 – 18h), ambos do Haiti.

No Baixo Centro Cultural (Rua Aarão Reis, 554), haverá as atrações musicais, que seguirão a seguinte programação:

 

11 h – DJ Valderrama (música latina)

12 h – Angetona (Haiti)

13h15 h – Grupo Arábica (Síria)

14h30 h – Mamour Ba (Senegal)

15h30 – DJ Valderrama (música latina)

16/18 h – Union Latina (música latina)

 

Fonte: Centro ZANMI

Imagem: Centro ZANMI

Link permanente para este artigo: http://observatoriodadiversidade.org.br/site/bh-recebe-a-1a-festa-do-migrante/

Secretaria de Estado de Cultura de Minas Gerais abre processo de eleição virtual para composição do Consec no biênio 2017- 2018

consec-mg

 

 

Convicta da importância de uma efetiva participação da sociedade civil para que todos mineiros exerçam seus direitos e tenham acesso aos bens culturais, a Secretaria de Estado de Cultura dá início ao processo eleitoral de renovação do Conselho Estadual de Política Cultura – Consec MG para o biênio 2017/2018.

Estão abertas até o dia 1º de dezembro as inscrições para o edital de convocação de entidades da sociedade civil, dos diversos segmentos artísticos e culturais, para composição do terceiro biênio do conselho. Pela primeira vez, o processo será integralmente virtual, desde as candidaturas até a votação.

As novidades de composição e formato que fortalecem o colegiado consultivo, propositivo e deliberativo não param por aí. Com nova legislação, publicada em julho deste ano, o processo formaliza a ampliação do número de segmentos representados no Conselho, que agora terá assentos para culturas afro-brasileiras e culturas indígenas.

Ainda ganham acesso ao colegiado os coletivos culturais. A partir deste ano, poderão se candidatar representantes de grupos ou núcleos sociais comunitários sem constituição jurídica, que desenvolvam e articulem, comprovadamente, atividades culturais em território mineiro. As mudanças são fruto da implantação da Reforma Administrativa, aprovada em plenária na Assembleia Legislativa de Minas Gerais.

O secretário Adjunto de Estado de Cultura, João Miguel, considera as alterações como efetivos avanços na democratização da participação social no âmbito cultural. “O nosso objetivo é fazer desse processo eleitoral um marco na inclusão e no envolvimento dos cidadãos mineiros na política cultural. É primordial que tenhamos uma ativa participação dos que vão representar os 853 municípios mineiros, em todas as suas manifestações artísticas e culturais, tendo voz nas escolhas das prioridades e apontando caminhos para a gestão pública. Esse é um desafio que vale a pena e condiz com a nossa principal diretriz: ouvir para governar”, afirma.

 

AMPLIAÇÃO DAS VOZES EM UMA NOVA ESTRUTURA

A implantação da Reforma Administrativa, por meio da Lei nº 22.257/2016, publicada no dia 27 de julho no Diário Oficial do Estado, trouxe uma nova fase para o conselho criado em 2011. Agora, com sua estrutura renovada, o Consec, ganha três novos assentos, contabilizando 14 segmentos representados.

Além da inclusão dos segmentos de culturas afro-brasileiras e culturas indígenas, respondendo a imponente atuação cultural destes grupos, a Secretaria de Estado de Cultura, atenta às demandas dos atuais conselheiros, separa os segmentos de dança e circo, que até então contavam com o mesmo representante. No biênio 2017/2018 cada um terá uma cadeira específica.

Respondendo a outra demanda latente da sociedade civil, está incorporada na nova legislação a possibilidade de coletivos culturais integrarem o colegiado. Assim, povos, comunidades, grupos e núcleos sociais comunitários, sem constituição jurídica, que comprovadamente desenvolvam e articulem atividades culturais em suas comunidades, poderão também se candidatar para as áreas em que atuam.

Além disso, alguns segmentos tiveram sua denominação alterada, em vias de ampliação e abrangência, como foi o caso da cadeira “Arte Popular, Folclore e Artesanato”, que passa a chamar “Culturas Populares, Tradicionais e Folclóricas”, e do segmento “Patrimônio Histórico e Artístico”, que agora recebe a denominação de “Patrimônio Material e Imaterial”.

 

COMO SE CANDIDATAR

O processo eleitoral será completamente virtual e aberto à participação de todos os cidadãos mineiros. As entidades e coletivos que desejarem se candidatar a uma vaga no Consec deverão se inscrever, de 8 de novembro a 1º de dezembro, no site www.consec.mg.gov.br e neste link.

Todos os documentos exigidos no edital para participação poderão também ser enviados digitalmente, sem a necessidade do serviço dos correios. A intenção é facilitar a participação dos interessados espalhados pelos 17 territórios de desenvolvimento do Estado, ampliando a representatividade regional.

No dia 2 de dezembro, será publicada no Diário Oficial a lista de candidatos pré-habilitados. Após o prazo de recursos, de 5 a 9, será divulgada, no dia 13, a lista final dos candidatos à eleição. A seleção será realizada pela Comissão Eleitoral definida em plenária pelos atuais conselheiros.

 

COMO VOTAR

O processo de votação online poderá ser acessado através do site do conselho nos dias 15, 16 e 17 de dezembro. Diferente das eleições anteriores, não será necessário o cadastro prévio de eleitores. Foi eliminada também a restrição de participação somente de pessoas jurídicas.

Desta vez a votação será aberta a todo e qualquer cidadão mineiro, com idade mínima de 16 anos, que se interesse pela cultura e deseje ajudar a escolher a representação da sociedade civil no Conselho de Política Cultural. Deverão ser informados dados como CPF, título de eleitor, endereço e e-mail.

Cada eleitor poderá votar em um único segmento. Na plataforma online ele terá acesso ao perfil e currículo do candidato, tendo condições para realizar a sua escolha. A divulgação do resultado das eleições do Consec – MG Biênio 2017-2018 está prevista para até o dia 30 de dezembro.

 

O CONSEC-MG

O órgão colegiado de caráter consultivo, propositivo, deliberativo e de assessoramento superior da Secretaria de Estado de Cultura auxilia na criação de condições para que todos mineiros exerçam seus direitos culturais e tenham acesso aos bens culturais. Devido à sua composição paritária, o CONSEC atua como uma instância da sociedade civil junto ao poder público. Compete ao conselho: acompanhar a elaboração e a execução do Plano Estadual de Cultura; manter instâncias de discussão com as associações representativas de artistas e produtores culturais; contribuir para a integração entre os órgãos públicos e entidades do setor cultural; manifestar-se sobre programas regionais de incentivo, gestão de acervos culturais entre outros.

 

SERVIÇO

INSCRIÇÕES NO EDITAL DE CONVOCAÇÃO DE ENTIDADES DA SOCIEDADE CIVIL PARA COMPOSIÇÃO DO BIÊNIO 2017/2018 DO CONSEC-MG

Datas: de 8 de novembro a 1º de dezembro

Formulário de Inscrição: http://www.consec.mg.gov.br/cadastro-de-candidaturas-de-entidades-e-coletivos-culturais

Regulamento: https://goo.gl/QnqXK9

 

VOTAÇÃO

Vote nos dias 15, 16 e 17 de dezembro em www.consec.mg.gov.br

 

Fonte: CONSEC-MG

 

Link permanente para este artigo: http://observatoriodadiversidade.org.br/site/secretaria-de-estado-de-cultura-de-minas-gerais-abre-processo-de-eleicao-virtual-para-composicao-do-consec-no-bienio-2017-2018/

Posts mais antigos «