José Júnior: atuação comunitária pelas políticas culturais

Hoje é dia de conhecer um pouco mais sobre o professor José Júnior, que irá ministrar as disciplinas Trabalho colaborativo, tecnologias e mobilização” e “Alternativas de financiamento da cultura” no curso de de Iniciação à Gestão Cultural.

Este texto faz parte da Série Professores, em que traremos aqui os perfis dos professores, os profissionais e os pesquisadores que fazem parte do Observatório da Diversidade Cultural e que também ministrarão aulas nos cursos e oficinas neste ano. Você pode ler o primeiro texto da série AQUI e o segundo AQUI.

Percurso: uma atuação comunitária

José Oliveira Júnior. Foto: Raila Melo/ALMG

Antes de ser tornar Mestre em Comunicação Social pela PUC Minas e de ser Consultor da Unesco para o Ministério da Cultura na implantação do Sistema Nacional de Cultura em Minas Gerais (2012-2013), José Júnior foi um tímido garoto nascido e criado no bairro Betânia, em Belo Horizonte.

A timidez, no entanto, não fez com que o jovem deixasse de enxergar a realidade em sua volta. E, em meio às reuniões da associação comunitária de que participava ao lado de seu pai, desenvolveu uma preocupação social. “Os moradores tinham que se juntar para exigir do poder público obras ali onde a gente morava: canalização de água pluvial, já que nossas casas enchiam de água a cada chuva forte, canalização de esgoto, pois tínhamos fossa em casa, calçamento e tantas outras coisas”, lembra ele.

Assim, começou sua atuação comunitária e em grupos de jovens da igreja católica, sempre com o objetivo de diminuir a desigualdade social entre as pessoas. Para isso, optou por contribuir com a periferia por meio de sua atuação na área de políticas culturais da cidade, em 1997. Desde então, já foi Gerente de Apoio às Ações Colegiadas da Secretaria Municipal de Cultura de Belo Horizonte (2017-2018); Consultor da Fundação Municipal de Cultura de Belo Horizonte para o Programa BH Cidade Líder da Agenda 21 da Cultura (2014-2015). E o mais importante: continua com projetos comunitários e de mobilização.

Disciplinas: tecnologias e financiamento na produção cultural

Na disciplina “Trabalho colaborativo, tecnologias e mobilização”, ministrada por José Júnior, será abordado o cenário das transformações no modo de comunicação que a sociedade vivencia nas últimas décadas e as afetações de todas as áreas que a compõem. Com relação à cultura, as novas formas de articulação entre pessoas e instituições como exemplo de alteração decorrente dessas variações.

“Pensamentos trabalhar conceitos de cooperativismo, associativismo, colaborativismo e ações coletivas, bem como refletir como estes conceitos foram ressignificados, sobretudo no que diz respeito aos movimentos culturais”, conta. Serão feitas análises de estudos de caso como mapeamentos culturais colaborativos e ações de movimentos culturais para: articulação de redes digitais e territoriais; economia solidária; economia do escambo; comunicação independente.

Em “Alternativas de financiamento da cultura”, outra disciplina que será dada por José Júnior, ele irá ajudar os participantes a lidar com aspectos mais práticos em relação a financiamento a cultura para além das leis de incentivo à cultura. “Não é deixar de utilizar as leis de incentivo, mas pensar de modo mais amplo sobre como viabilizar a atividade cultural continuada. O modulo auxiliará na compreensão e desenho de alternativas de viabilização para projetos e programas culturais”, comenta.

Quando e como participar dos cursos do ODC

O ODC procura sempre oferecer cursos e oficinas para formação de artistas, profissionais da área da cultura e pessoas interessadas no desenvolvimento e promoção da diversidade das expressões culturais. Para participar, os interessados devem acompanhar a programação divulgada sempre no site e Facebook e fazer sua inscrição.
Neste semestre, Itaúna e Ipatinga recebem as atividades que estão com inscrições abertas até 14 e 18 de setembro, para os cursos de:

– Iniciação à Gestão Cultural (Itaúna e Ipatinga)
– Mapeamento da Diversidade Cultural (Itaúna)
– Oficina Modos de Lembrar (Itaúna)
– Oficina Modos de Brincar (Itaúna)

Os formulários para se inscrever e as informações completas você confere NESTE LINK.

Caso tenha alguma dúvida ou tenha gostado deste artigo e da atuação do professor José Júnior, deixe um comentário abaixo!

 

Link permanente para este artigo: http://observatoriodadiversidade.org.br/site/jose-junior-atuacao-comunitaria-pelas-politicas-culturais/

1 comentário

    • Alexandre Vertelo em 20/09/2018 às 12:15
    • Responder

    Haverá módulos em BH ou metropolitana?

Deixe uma resposta

Seu e-mail não será publicado.